O Comportamento Materno

Logo após o parto, a égua deve permitir que o potro mame durante pelo menos 20 minutos. Para isto, ela que o dirige até suas mamas. No primeiro dia de nascimento, o potro mamará de hora em hora.

Quando o potro já mamou o bastante, a égua muda o apoio dos membros posteriores, impedindo que o potro continue a mamada. 

Não é normal qualquer agressão da mãe direcionada ao seu potro, mesmo quando ele golpeia fortemente o seu úbere afim de estimular a descida do leite.

Depois da primeira mamada, a égua procura se afastar do lugar do parto e da placenta, pois o odor forte poderá atrair predadores. O potro fica atento para não se distanciar de sua mãe e somente após alguns dias após o parto, ela irá permitir que outros membros do grupo se aproximem do neonato.

Outubro de 2017.

O Desmame

A égua, naturalmente, passa a restringir a periodicidade e o tempo das mamadas, podendo se tornar mais agressiva. O potro, sabiamente, termina as mamadas antes que a sua mãe apresente algum comportamento aversivo.

Aos poucos, égua e potro vão se afastando um do outro, até o momento do desmame. Somente se a égua estiver prenha, ela poderá interromper de forma abrupta as mamadas do potro, um pouco antes do próximo parto, se não, permitirá que o potro continue mamando por um ano ou mais.

Não é incomum observar éguas selvagens com dois potros mamando. O de poucos meses e o do parto anterior, com mais de um ano.

Observando estes detalhes, podemos repensar as práticas de desmame empregadas no manejo dos equinos domésticos.

Fale conosco

Saiba mais

Siga-nos

  • w-facebook

Atenção! Para citar ou compartilhar qualquer texto, deve-se sempre indicar o autor/link direto do site.

                                       Lei de Direitos Autorais (9.610/98).