O Médico Veterinário na Equoterapia

A equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo numa abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiência e/ou necessidades especiais.

 

Ela exige a participação do corpo inteiro, ou seja, de todos os músculos e de todas as articulações, e o cavalo é o meio para alcançar os objetivos terapêuticos (ANDE, 1999).

 

Ainda, é uma alternativa de tratamento não medicamentoso em que se trabalham as várias formas do desenvolvimento da criança, de forma lúdica, com o cavalo e em seu ambiente natural (SILVA, 2004).

 

Na Equoterapia, o Médico Veterinário é o único profissional capacitado para avaliar a saúde de um cavalo terapeuta. Ele exerce a função de orientador, informando e ensinando os cuidados básicos de saúde e higiene, bem como suas particularidades. Ele também deve participar do desenvolvimento e acompanhamento do projeto, realizando avaliações frequentes e estabelecendo cuidados higiênico-sanitários (FLÔRES, 2009).

 

O trabalho do coterapeuta deve ser em conjunto com o de um Médico Veterinário que conheça a terapia, pois estarão aliando saúde com fisiologia e comportamento animal, além da estimulação animal-paciente.

 

A saúde plena do animal terapeuta é um aspecto essencial e visa não somente ao bom desempenho e bem-estar animal, mas também a garantia de que não

 

haverá transmissão de doenças dos cavalos às pessoas.

 

Toda terapia deverá ter o acompanhamento do Médico Veterinário, permitindo a interação entre diferentes profissionais e a garantia do comportamento e do bom estado higiênico-sanitário do animal.

 

Fonte: CFMV - Revista 61. Marco César Palmeira Filho - Médico Veterinário e Magna Lúcia de Souza Palmeira - Pedagoga.

 

Para a fundadora e diretora do Grupo de Abordagem Terapêutica e Integrada (Gati), de São Paulo (SP) Liana Santos, além da assistência, o profissional tem uma função educacional. "Ele conversa, esclarece e educa as crianças sobre a importância das vacinas, remédios, ferraduras, entre outros", exemplifica. Ela acredita que o profissional se torna um agente de confiança da equipe, pais e pacientes. "A garotada e as famílias ficam bem mais próximas do animal, pois passam a entender um pouco e perdem o medo", conclui.

 

A Médica Veterinária Letícia Caovi, do Centro de Treinamento Roger Vieira, em Viçosa (MG), compartilha da importância da valorização do animal como indivíduo. "O cavalo não é uma simples ferramenta de trabalho. Ele é o coterapeuta e, por isso, os cuidados com os animais de equoterapia são diários", explica. Entre eles, estão a escovação, limpeza dos cascos, boa alimentação, controle parasitário e imunológico, rotinas de trabalho, descanso e treinamento bem estabelecidos. Além disso, ela enfatiza a importância de condutas que considerem o bem-estar animal. "O cavalo bem cuidado fica disposto a praticar a terapia simplesmente por ter uma índole naturalmente sociável e com a vontade de servir", avalia.

 

Fonte: CFMV - Revista 61. Flávia Tonin e Ricardo Junqueira Del Carlo.

 

Entende-se que o Médico Veterinário é o único com formação para garantir a saúde do cavalo, além de ter conhecimento especializado sobre comportamento animal, suas atitudes e reações prévias ou durante a prática da terapia.

Junho de 2014.

Fale conosco

Saiba mais

Siga-nos

  • w-facebook

Atenção! Para citar ou compartilhar qualquer texto, deve-se sempre indicar o autor/link direto do site.

                                       Lei de Direitos Autorais (9.610/98).